Sintonia fina: especialista detalha o rigoroso trabalho de som de espetáculos artísticos

  • 02/04/2024
(Foto: Reprodução)
Disputado no cenário nacional, Chico Santarosa assina a sonorização de musical em cartaz nesta edição do Festival de Curitiba. Chico Santarosa Giuliano Gomes Um espetáculo de teatro é a soma da arte com a técnica e, para que ele aconteça, essas duas áreas precisam estar afinadas. Isso requer o envolvimento de muitos profissionais, entre eles o técnico de som, fundamental em uma montagem. Sobretudo, em um musical como “O Fantasma de Friedrich – Uma Pop Ópera Punk”, atração da Mostra Lúcia Camargo na 32ª edição do Festival de Curitiba. A produção de Curitiba tem apresentações nesta terça (2) e quarta-feira (3), no Guairinha, e está com ingressos esgotados. Quem assina a sonorização do trabalho é Chico Santarosa, técnico disputado no meio artístico local e nacional. Com especialização em áudio feita na Inglaterra, país pioneiro na área, a principal área de atuação dele é fazer o som ao vivo dos espetáculos. ✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp ✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram “No Brasil, embora já se tenha avançado muito, o som ainda é um terreno pouco conhecido. A operação de um musical é altamente complexa. Precisa ser bem estudada, ensaiada e, para isso, requer tempo de montagem com o som pronto, já valendo”, explica Chico que, curiosamente, antes de se tornar técnico de som atuava como advogado. Ele conta que, normalmente, grandes musicais precisam mais de um mês de ensaio da parte sonora. O processo envolve planejamento, desenvolvimento de projeto do sistema de som, montagem e equalização. “Fazer em pouco tempo é arriscado, o ideal é montar e conferir todo o sistema de som com antecedência. Não é a boa vontade que resolve, mas o planejamento. Cada lugar tem uma acústica e cada espetáculo tem suas peculiaridades e demandas específicas”, explica. 👉 Confira a página especial do g1 sobre o Festival de Curitiba Esse entendimento ele adquiriu acompanhando musicais em Londres como técnico de som, mas principalmente trabalhando em shows em uma rede de pubs. “Essa experiência com bandas em espaços diversos me proporcionou um grande salto, foi onde eu mais aprendi, essa prática diária me deu muito conhecimento técnico”, conta. De acordo com ele, o desafio não é um tipo de espetáculo específico, mas conquistar para cada trabalho um sistema de som alinhado com o espaço, considerando todas as variáveis como cenário, luz, figurino, plateia e equipamentos disponíveis para a produção. Cada detalhe ressoa Os microfones vão ficar escondidos ou aparentes? Qual será a distância entre os atores quando estiverem contracenando? A música será executada ao vivo? Como vai funcionar o retorno para os atores? Tudo interfere no som. Chico conta que o ideal é fazer uma visita técnica no espaço para realizar medições e poder planejar o sistema de som adequado para o espetáculo. Isso também pode ser feito por meio da chamada planta baixa, o desenho com as medidas do local. A partir desse cálculo ele projeta o que irá encaixar no espaço. A etapa seguinte é a montagem, o alinhamento e os ajustes. “Respeitar essas etapas agiliza a produção, pois permite que o elenco possa ensaiar com o som já equalizado, isso garante muita qualidade sonora ao trabalho", detalha. A equipe de som de um grande evento como um musical, por exemplo, conta com, pelo menos, quatro profissionais: o responsável pelo projeto; o microfonista, técnico que cuida só dos microfones; o operador de som e um técnico “coringa” que pode atuar nas duas funções. Veja também: Fringe: Mostras do Festival de Curitiba trazem à cena talentos paranaenses Programação: Festival tem atrações em cinco municípios da Região Metropolitana Produções de musicais em Curitiba ainda são raras. “O Fantasma de Friedrich” é um legítimo musical curitibano e para a maioria da equipe será a primeira experiência no gênero. A música é executada ao vivo e os atores atuam e cantam sem recurso de playback. “Está sendo um ótimo aprendizado para todos, meu trabalho está sendo compreendido. Está ficando claro porque produções como essa requerem mais tempo do que de praxe. As transições são rápidas, os microfones abrem e fecham em alta velocidade, preciso saber os diálogos e os atores, de preferência, não podem improvisar, tudo tem que estar bem marcado para que flua. E está fluindo muito bem”, comemora. 32º Festival de Curitiba 🗓️ Quando: até 7 de abril; 💵 Valores: até R$ 85; 🎟️ Ingressos: neste link e na bilheteria do Park Shopping Barigüi, de segunda-feira a sábado, das 10h às 21h; domingos e feriados, das 12h às 20h. 🔴 Verifique a classificação indicativa e orientações de cada espetáculo Vídeos mais assistidos do g1 PR: Leia mais notícias no g1 Paraná.

FONTE: https://g1.globo.com/pr/parana/festival-de-teatro-de-curitiba/noticia/2024/04/02/sintonia-fina-especialista-detalha-o-rigoroso-trabalho-de-som-de-espetaculos-artisticos.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Anunciantes